quarta-feira, outubro 20, 2010

Bestiarion (Letra U)

Se penso que alguém me anda a envenenar os ouvidos então já sei qual é a receita... Se desconfio que em calhando não viverei para sempre então já sei qual a armadilha a colocar... Se me anda cá a parecer que me andam a enganar na idade então basta atiçar-lhes com o chamariz... Do cálice sagrado retiro a memória da inocência personificada... Bahhh... Mesmo que arranjasse uma vinha logo a besta e desonrava-ma...

domingo, outubro 17, 2010

Bestiarion (Letra O)

Trata-se da história de um rochedo perdido no mar... Quando vejo a disputa de um pedaço de terra no meio de nenhures fico preocupado... Não me importa que exista esforço de parte a parte para diminuir a distância entre os dois povos... Preocupa-me antes os esforços visíveis de afastar as duas gentes... Outras gentes dizem para não me preocupar e que, no meio desta miséria, deveria era preocupar-me com umas outras gentes... Eu se calhar até concordo... Poderia até dizer que está na altura da intervenção rápida dos intermediários entre a terra e o céu... O problema é que estes mensageiros são bestas sedentas de sangue e senhores do equívoco...

sábado, outubro 16, 2010

Bestiarion (Letra I)

Existe um certo tipo de conversas que me irritam... Se estiver com boa disposição até posso ser inteligente e apreciá-las com sarcasmo... Na maior parte das vezes sinto-me simplesmente impaciente... Há conversas que regressam vezes sem conta mesmo quando as afundamos no meio do oceano... Mesmo as que não emergem dão de vez em quando sinais de vida... Às vezes então só me apetece pegar no final da conversa... Mas sei que tenho que ter o máximo de cuidado ao puxar o assunto... Porque se estico demasiado já sei o que vai acontecer... Vou esticar a tal ponto que... Se estiver a dar a volta ao mundo... Quando der por mim está a besta a abocanhar-me à traição pelas costas...

quinta-feira, outubro 14, 2010

Bestiarion (Letra E)

Eu até quero e até admito a dependência obcessiva... Contrato um artigo e contrato a sua entrega... Tenho todo o tempo do mundo e não me preocupam os reembolsos... Eu até tenho caixa de correio, da mesma maneira que alguns milhões de portugueses também têm... E conto que ela seja usada para este tipo de coisas, como alguns milhões de portugueses também desejam... Porque é que isto e aquilo? E porque não aqueloutro? Não me apetece de modo algum é responder às vossas inadequadas perguntas... Vão perguntar a outro... Eu vou fingir que (não) dou ouvidos a bestas e prefiro que me considerem um cliente riscado da vossa lista...

segunda-feira, outubro 11, 2010

Bestiarion (Letra A)

Que queres que eu te faça? Já desapareci. Já pousei o auscultador. Já deletei o teu endereço. Já não revejo as fotografias. Já não frequento aqueles restaurantes. Já mudei de centro comercial. Já me aconteceu ter que dar meia volta. Já não te falo carinhosamente nos meus pensamentos. Já não me incomoda estar nos sitos que partilhei. Já dei mais do que tempo ao tempo... Então porquê essa caratonha? Então porquê assistir vezes sem conta ao fenómeno avestruz? Que queres que eu te faça? Que me resta ainda fazer? Lutar contra a besta e morrer de vez?

terça-feira, outubro 05, 2010

O Aniversário (re)Público

São cem anos e por isso mesmo fala-se de centenário nas celebrações da República... O que me incomoda sobremaneira é a falta de alusão aos trágicos acontecimentos no Terreiro do Paço... Eu até nem sou monárquico mas incomoda-me de alguma maneira este silêncio... Mas ainda mais importante não é o que aconteceu há cem anos atrás... Sem tantos anos há algumas pessoas (menos públicas) que também celebram aniversários... E uma delas obrigou-me a levantar-me de madrugada e a estar a desenhar com lápis de cor durantes horas a fio... Mais do que uma senhora na flor da idade vestida (quase só) com um barrete vermelho... Eu acho que um dos verdadeiros símbolos da liberdade é o voo das aves... ^-^