quinta-feira, agosto 28, 2008

Ler em Islandês - #03

A minha terceira escolha caiu sobre um óptimo livro na medida em que ilustra a botânica, as aves e os mamíferos da ilha. E até parece que eu fui o único a conseguir uma versão em inglês... As ilustrações são muito bonitas e totalmente originais se tomarmos em conta a quantidade de livros de guias de campo que eu disponho na minha biblioteca privada. Uma óptima compra que me auxiliou imenso a classificar adequadamente as plantas à medida em que as ía recolhendo para o meu caderno de campo.

quarta-feira, agosto 27, 2008

Ler em Islandês - #02

Este livro aparece muito naturalmente em 2º lugar... Feitas as contas as baleias de Husávik foram um dos momentos altos da viagem. A visão das grandes baleias-de-bossa (Megaptera novaeangliae) ainda hoje me vêm à memória. Apesar das excelentes fotografias, este livro sai da categoria de científico e cai mais na categoria de álbum. Admito no entanto que dei por mim fascinado a ler os textos, quase sempre extraídos de livros de autores bem conhecidos, associados às imagens...

terça-feira, agosto 26, 2008

Quinze raisons pour être l'Homo rollerbladerensis dans le crépuscule

Ora vamos lá ver se isto me sai de seguida... 1) Quase que tenho a pista só para mim; 2) Sabe bem depois de um dia de trabalho; 3) Bom recurso para eliminar toxinas, dioxinas e xinesices... 4) Porque acabo por perder algo do que fui ganhando, i.e., peso... 5) Uma aparatosa queda com pancada séria no braço direito acaba por não ser testemunhada... 6) Não há trânsito quase nenhum quando regresso a casa... 7) Já não tenho razões para continuar com a mesma camisa e calças... 8) Evito ser pendura nos programas junto do pessoal... 9) É extremamente refrescante sentir a brisa da tarde que vem do rio... 10) A utilização de óculos escuros na penumbra não é posta em causa por ninguém...

???

Olha, afinal eram só 10 razões... Devo-me ter equivocado...

^-^

segunda-feira, agosto 25, 2008

Ler em Islandês - #01

Bom... É quase verdade... Se bem que seja quase sempre mentira... Só agora começo a organizar o material reunido e produzido na Islândia. Tenho alguns projectos para esse material. Mas entretanto, vou estar aqui a publicar algumas referências relativamente a livros e publicações que eu acabei por trazer da Islândia. A primeira não podia deixar de ser dos puffins, isto é papagaios-do-mar (ditos Fratercula arctica). No Oceanário de Lisboa não são tão bonitos de ver como no seu habitat natural!!!

domingo, agosto 24, 2008

OceanárioFieldSketchBook

Ainda não foi desta que fui apanhar sol... Regressei ao Oceanário de Lisboa... Feitas as contas há que aproveitar até ao final do ano o facto de estar a contribuir ($$$) para a preservação da Natureza naquela instituição. A visita foi curta porque já conheço bem os cantos à casa. Estive bastante mais tempo nos aquários do rés-do-chão. Menos gente embora com menos luz. De qualquer modo ainda desenhei alguma coisa. A grafite... Porque isto de tinta naquele espaço e com alguns encontrões... Só no choco (Sepia officinalis), eheheheh...

sábado, agosto 23, 2008

ZooFieldSketchBook

Mesmo com o sol a pino o Zoo de Lisboa transbordava de visitantes... Para mim já é tudo hábito e continuei a ouvir a lengalenga do costume... Oh, mãe! Aquele senhor está a pintar o macaco... Etc,etc,etc... Mesmo ao pé do Okapi (Okapia johnstoni) não pude deixar de ouvir comentários óbvios... Se bem que pensando melhor... O comentário mais óbvio acabei por não ouvir... Não ouvi o mais pequeno sussuro relativamente ao tamanho da língua do girafídeo... Será que o pessoal estava cego? Ou terei sido eu que fiquei subitamente surdo?

sexta-feira, agosto 22, 2008

Querida, fui apanhado a desenhar com os miúdos!!!

Por ocasião de mais um aniversário acabei por ser apanhado a desenhar com os meus sobrinhos. Antes tinha tido a presença de espiríto de passar pela Staples para me apetrechar... Lápis diversos da Staedler, borrachas, afia-lápis e papel de desenho em promoção. Aderiram de imediato ao jogo das durezas dos lápis e das diferentes intensidades de grafite. Mas o que lhes prendeu a alma foi desenhar com a borracha mágica (a qual, nas minhas próprias palavras dura uma vida)... O rapaz após perder parte da borracha resmungou que assim por aquele andar a dele não iria durar uma vida inteira... A rapariga choramingou porque o leão dela não estava igual ao meu...

:)

Quatro desenhos por cada um deles (melancia, leão de peluche, porquinho-da-índia e tema livre)... Eu já não tive pachorra para o tema livre... Aquele entusiasmo e necessidade de constante atenção acabou por me cansar... Ainda por cima os 1ºs desenhos deles da Citrullus lanatus, dita melancia, ficaram bem melhores do que o meu... Buáááááááá...

quinta-feira, agosto 21, 2008

segunda-feira, agosto 18, 2008

domingo, agosto 17, 2008

Diário Digital - #003

Afinal a segunda página digital está a dar mais luta do que aquilo que eu pensava... Quando eu me atrever a publicar o artigo logo perceberão da complexidade do modelo... Entretanto dei por concluída a 3ª página... O objecto escolhido é a escultura em barro «Gula» da série 7 Pecados Mortais de Júlia Ramalho... Independentemente da qualidade (ou não) da ilustração, o facto é que esta escultura de Barcelos é lindíssima!!! E até há quem gostasse de lá ir...

^-^

sábado, agosto 16, 2008

Lendas Mediavalescas

Ou seja... Feiras mediavalescas e lendas contemporâneas... Em dia de feriado religioso acabei por dar comigo metido numa feira mediavalesca numa terra onde Brites de Almeida (geneticamente modificada para ter 6 dedos em cada mão e em cada pé) deu conta da obra com que foi confrontada. Os passeios de pónei mal disfarçaram o facto da lenda se sobrepor à realidade... Mas quanto a lendas ainda houve tempo para tentar encontrar as famosas pegadas dinossauricas que tanto assustaram a montada de Dom Fuas Roupinho lá naquele sítio. Cavalgadas à parte, pode-se dizer que foi um dia muito preenchido com a metamorfose de velhas lendas em novos mitos!!!

quinta-feira, agosto 14, 2008

Diário Digital - #001

Dei por fim inicio ao trabalho diário em formato 100% digital. Procurei uma peça interessante para começar... Do vasto espólio que tenho vindo a recolher ao longo dos últimos anos, optei pela recente aquisição islandesa: uma vértebra de uma toninha-comum (Phocoena phocoena). Criei inicialmente um papel de fundo colorido para enriquecer o desenho. Esbocei de modo livre a figura orientada por mim. Apliquei pó de carvão para criar sombras. Apaguei pó de carvão para criar destaques de luz. Dei textura com lápis de grafite. E conclui que para o meu primeiro desenho no Caderno Digital até que estava muito bom. Em breve: a Segunda Página!!!

domingo, agosto 10, 2008

Nau dos Corvos

Hoje aproveitou-se uma saída com carácter social para um pequeno regresso à visão das Berlengas. Do lado de cá, na recortada penísula de Peniche, mesmo junto à Nau dos Corvos, descortinaram-se com facilidade os lhéus na bruma que se levantava. Poeticamente, senti alegria de estar ali a evocar tempos idos. Mas a verdadeira surpresa foi constatar que aqui, neste dito cabo Carvoeiro, uma pequena colónia de corvos-marinhos (Phalacrocorax cabro) ainda conseguem sobreviver ao terror chamado gaivota.

sábado, agosto 09, 2008

Saída de Restaurante

Hoje conseguimos um significativo quorum em tempo de férias para uma saída de Resaturante. A escolha temática incidiu desta vez sobre o continente africano. Depois do Japão, da Índia, de Marrocos, do México... Calhou a vez de Cabo Verde! Mais do que a comida o que foi bom foi o reencontro após algumas semanas de ausência. Houve ainda tempo para um pequeno passeio digestivo até ao atelier do Rui e por fim, por desistência de um programa no Maxim´s, acabou-se mesmo foi com um trajecto automobilístico até um famoso miradouro de Lisboa. Feitas as contas a morcegada esteve-se a fazer à noite!

sexta-feira, agosto 08, 2008

Saída de Touros (bis)












Hoje foi um dia de reencontros, de caracoladas e de largadas de touros... Este ano acabei por assistir às festas do Colete Encarnado em Vila Franca de Xira e às festas do Barrete Verde em Alcochete... A adrenalina de ver o touro ultrapassou em larga medida o repúdio que sinto por estas festas populares. Cultura minóica à parte, o facto é existe um magnetismo animal neste tipo de eventos. E não resisti a explorar a beleza do touro nos seus cambiantes digitais.

quinta-feira, agosto 07, 2008

PêCê para as Saídas

Desde já há largos meses que tenho estado a avaliar a hipótese de trabalho puramente digital nas saídas de campo. Comecei pelas coisas mais básicas tais como uma mochila, uma câmara simples, um software simples... Mas tem-me continuado a faltar o mais importante:o Pc ideal... Até que acabei por dar com um pequeno Pc da HP que roda o ecrã táctil... Que é da Wacom... Após o meu regresso de férias comecei lentamente a artilhá-lo para as saídas de campo. E para já estou a ter bons resultados. Talvez ainda este fim de semana que se aproxima eu consiga fazer algumas experiências no meu novíssimo Caderno de Campo Digital!!!

domingo, agosto 03, 2008

Cahiers du Voyage - Reyjkavik e Londres - Day 17

Directa em Reyjkavik para o aeroporto... Cenas de consumismo desenfreado... Cenas de comida requintada (aiiii, o meu filete de cabrito...) no restaurante onde tomámos café no primeiro dia... Cenas de música inominável em discotecas da onda... Cenas de passeatas pelas ruas já escuras por uma noite anunciada... Cenas de empacotamento de bagagem em frente às filas de táxis no aeroporto... Cenas de gastar as últimas coroas islandesas em tudo e mais alguma coisa... Cenas do regressso de uma viagem que fica marcada pela dureza da mesma.

Dureza de nos vestirmos para o inverno enquanto que aqui se vivia o verão. Dureza de viver acampado durante 15 dias com chuva e frio. Dureza de comer o que havia disponível nos supermercados (enlatados, iogurtes líquidos, sopas em água morna, fruta, enchidos fatiados e pão de forma). Dureza devido a um dia de 24 horas das quais a maior parte andávamos a viajar porque ainda era de dia. Dureza por não podermos tomar banho quando queríamos e não podermos vestir roupa lavada quando queríamos.

Contudo esta fica-me gravada na memória como uma das melhores visitas que eu já fiz por esse mundo fora!!!

sábado, agosto 02, 2008

Cahiers du Voyage - Blue Lagoon - Day 16

Ok... O dia não foi passado todo dentro da Blue Lagoon... Houve da parte da manhã algumas visitas a fumarolas e a parques naturais para observar aves... Mas depois da Blue Lagoon quem é que se lembra ainda dessas coisas? Com toda a sua estrutura arquitectónica enterrada numa planíce de lava e invisível a um descuidado caminhante, com a sua inconfundívelmente azulada água termal rodeada de vapores sulfurosos, com as cómicas máscaras de lama de sílica a decorar de branco os rostos dos visitantes, e com o desgustar do requintado copo do adocicado champanhe azul... Palavras para quê? Ou melhor, nas palavras publicitárias locais eu posso afirmar que «Eu fui lá e fui visto a fazer aquilo»!!! LOLOLOLOLOL...

sexta-feira, agosto 01, 2008

Cahiers du Voyage - Vik, Sókarfoss e Seljalandsfoss - Day 15

Rumo a Reyjkavik pois a partida já se anuncia... Uma paragem demorada na cidadezinha de Vik. Sem charme na sua estrutura mas com uma inacreditável beleza na sua praia de areia vulcânica. Uma pergunta existencial... Porque é que nunca se vê ninguém na praia? LOLOLOLOLOL... Mas se não tomámos banho na praia de Vik pelas razões óbvias, o facto que apanhámos 2 boas molhadelas ao ver as cascatas de Sókar e de Seljalands. Se na primeira dava para sentir a força da água que batia a poucos metros de nós, na última até dava para passar por detrás da queda de água. Boas recordações e, graças a Deus, sem constipações!!!