segunda-feira, dezembro 31, 2007

Solanum

Antes de avançar para o trabalho de casa de aguarela para entregar após as férias de Natal nas aulas de Ilustração Científica, decidi treinar um pouco mais a aguarela. Comecei pelo, já habitual, esboço a grafite.

Continuei com a transferência e com a aguada de cor de aguarela. E já se sabe que fiz isto 3 vezes...




Comecei com a primeira demão de cor de aguarela e aqui fiquei um pouco atrapalhado com as sombras e com as luzes... E já se sabe que fiz isto 2 vezes...


Hoje, só hoje (finalmente!) me aventurei com a última aguarela... O meu pobre tomate (Solanum lycopersicum) quase que não aguentava em cima da mesa com tanta luz. Passados tantos dias já não devia estar a contar ir parar à saladeira... Afinal sempre lá vai parar!

^_^

domingo, dezembro 30, 2007

Porcellio - Fase 2

A segunda fase nesta odisseia de executar uma tinta-da-china com a técnica de pontilhado (dita técnica de stippling) continua com a recolha de dados disponíveis sobre a representação gráfica dos isópodes no geral e sobre o Porcellio scaber em particular.

As fontes da internet são inúmeras mas achei particularmente importantes as informações e imagens disponibilizadas nos seguintes links:

CSIRO
Bug Guide
Assel Net
Woodlice Online
Guide to the Coastal Marine Isopods of California
Calvin Jones Writing and Photography
Isopods of Southern Australia
The Tree Of Life
Morwell National Park Online
Le Porcellion Rude
Sowbug and Pillbug


Andei também a desfolhear a biblioteca lá de casa e arranjei boas referências na seguinte bibliografia:

a) "Systematische Zoologie";Storch, Volker; Welsch, Ulrïch; Spektrum - Akademischer Verlag - Gustav Fischer; Berlin; 6 Auflage; 2004


b) "Précis de Biologie Animale"; Aron, M.; Grassé, P.; Masson et C.ª; Paris; 7éme Edition; 1963


c) "Insects, Spiders and Other Terrestrial Arthropods"; McGavin, George; Dorling Kindersley Handbooks; Singapore; 2000


d) "Arácnidos, crustáceos y miriápodos"; Bellman, Heiko; Maier, Gerhard; Guias de Naturaleza Blume; Barcelona; 1994


e) "Invertebrate Zoology"; Rupert, Edward E.; Barnes, Robert D.; Saunders College Publishing; USA; 6th Edition; 1991


f) "Invertebrates"; Brusca, Richard C.; Brusca, Gary J.; Sinauer; USA; 2nd Edition; 2003

g) "Fauna Submarina Atlântica"; Saldanha, Luiz; Publicações Europa-América; Mem Martins; 3ª Edição; 1997

h) "Fauna y Flora del Mar Mediterráneo"; Riedl, Rupert; Omega; Barcelona; 2 Edicion; 2000

Esta é uma das fases mais chatas mas acima de tudo é uma das fases mais importantes. A partir daqui vai ser possível produzir a ilustração de modo científico. Posto isto, o que falta agora mesmo é voltar a arregaçar as mangas e avançar...

sábado, dezembro 29, 2007

Feira da Ladra

Hoje estive na Feira da Ladra que se desenvolve a partir das traseiras da Igreja de São Vicente de Fora e o Panteão Nacional, em plena Alfama. No meio de um nevoeiro cerrado assisti às primeiras horas de actividade daquele local. Aos anos que já não ía ali e foi muito interessante ver a tralha que se vende nos dias de hoje... Bom, uma da tralha foi este livro de "Zoologia" de 1906... Indescritível... Eu já tinha um compêndio de "Biologie Animale" de 1963 mas ter algo em português daquela época por menos de 1 euro foi demais!!!



Mas o que me levou lá hoje foi a busca de aparos em bronze para desenho a tinta-da-china. Infelizmente não dei com eles... Vou ter que me voltar a informar melhor sobre o paradeiro do estaminé. Todavia dei com este livro sobre o programa de ensino de Desenho de 1957. Queriam 2 euros mas eu só tinha na carteira 80 cêntimos e foi arrebatado por aquele preço. Está visto que vale a pena lá ir às compras...

^_^

quarta-feira, dezembro 26, 2007

Quercus

Decidi iniciar um pequeno projecto pessoal na área da aguarela. Tenho montada uma rede de pessoal amigo que me vai trazendo coisas para eu desenhar... Networking no seu melhor!!! Foi desta maneira que me chegou às mãos este espécime Quercus sp., vulgo bolota... Comecei em primeiro lugar por um desenho à vista de quase 1 hora em lápis de grafite Derwent 4B.

Recorrendo à técnica de transferência, decidi iniciar a aguarela com uma simples aguada. E aqui eu parei um pouco... Tinha basicamente 2 hipóteses. Ou avançava, e destruía nesse processo esta aguada, ou voltava a fazer uma 2ª transferência... Eu gosto de desafios...

Voltei a transferir, voltei a fazer a aguada e dei uma primeira demão. Só que fiz isto 2 vezes porque eu tinha entretanto decidido fazer uma 3ª aguarela... Loucura total para quem não tem mais nada para fazer!!!

Confesso que fiquei um pouco cansado depois de tanta transferência e de tanta aguarela repetida. Daí, se calhar esta última aguarela até nem é das melhores... Mas acho que o conjunto dos 4 fica muito bonito no meu caderno de campo!

^-^

domingo, dezembro 23, 2007

Jardim Zoológico de Lisboa

Eu costumo contar a «piada» de que quando me pedem o cartão de sócio eu apresento, em vez dos tradicionais SLB ou SCP, o meu cartão de sócio do Jardim Zoológico de Lisboa (JZL for short).

A primeira vez que desenhei em público foi na Primavera de 2006 no monte Takasaki (Oita-shi, Kyushu, Nihon), no meio de centenas de Macaca fuscata. Foram 2 horas passadas de joelhos a tentar «apanhar» o jeito... Efeito imediatista do movimento... Fiquei conquistado... mas segui as regras de «conduta local» e tentei não olhar directamente nos olhos dos retratados... acho que consideram isso um desafio e passam de imediato ao ataque... Uma das vezes quase que fui mordido por 1 das crias...

Desde essa data que de vez em quando, perco a vergonha, e desato a desenhar e a pintar no JZL. E os trabalhos vão melhorando com a prática...









Hoje levantei-me cedo para ir lá e comecei onde tinha acabado: o Rino! Já não punha lá os pés desde Outubro e ele tem umas instalações totalmente novas com uma ponte aérea. De facto o esforço de remodelação do JZL nos últimos anos de modo a dar as melhores condições aos animais é louvável. Eu já vi meio mundo e os seus Zoos e sei o que digo!


Outro espaço ganho este ano foi o atribuído aos grandes felinos. E se bem que eu tenha uma malapata com o tigre (esta história fica para uma outra oportunidade) a verdade é que eu simplesmente admiro o Serval. A bem da verdade há que dizer que passei lá pelo menos uma boa meia-hora, embora ele não me ligue nenhuma...



E apesar do JZL estar (quase) completamente vazio de visitantes por ser uma data próxima do Natal o facto é que bicharada, lince-euro-asiático incluído, me virou constantemente as costas... Só me ocorre dizer algo que a personagem Mafalda do Quino costuma dizer: «A vida moderna tem mais de moderna do que de vida.»

Numa tentativa de quebrar o gelo da bicharada, meti-me por aquele caminho que está aos anos com a placa DEAD END (leia-se SEM SAÍDA). Aí não havia mesmo ninguém e não é porque o pessoal não sabe ler. É porque ainda por cima é sempre tudo a subir... E tive todo o tempo do mundo entre os roncos de sono dos tapires...




E mesmo no final do beco, as palancas-ruana devem ter pensado que eu era um tipo perigoso para a) Ter conseguido chegar ali; b) Estar a demorar-me mais do que 10 segundos e c) Não vociferar em voz alta «Porra que isto não tem saída»... Eheheheheh... Apanhei-as porque eu como terrorista não valho nada!




Já me estava a chatear com as «opiniões» de miúdos e de graúdos. Já vinha com os fusíveis a queimar desde os leões quando um senhor me gritou junto ao ouvido se eu não me importava de que ele ficasse a ver... Ele era de certeza e eu fingi-me de surdo...


Por isso quando fugi dali e me cruzei com o aligator-do-mississipi não tive coragem de acabar o desenho devido ao bombardeamento dos petizes com piadas do género «Aquele Sr. está a pintar o crocodilo»... Irra!






E para fechar a loja acabei mesmo com os paquidermes... Os verdadeiros... Os que se estavam simplesmente a marimbar para os desenhos que eu fazia e que andavam entretidos na sua (animada, diga-se de passagem) vida social... Foi de corar...

quinta-feira, dezembro 20, 2007

Porcellio - Fase 1

Depois do trabalho à volta das fotografias deste crustáceo terrestre (escolher as melhores poses, dimensiona-las, dessatura-las, contrasta-las, junta-las, etc...) pus-me a brincar com os diferentes materiais e com diferentes abordagens.


Comecei por um desenho a grafite à vista (Lápis de grafite 4B da Derwent, 2 horas de trabalho). Mas as coisas não correram muito bem, especialmente na parte posterior.




Após utilização da técnica de transferência continuei com uma composição diferente (e que vai ser a definitiva) em grafite (Lápis de grafite 4B da Derwent, papel amarelado brilhante de marca desconhecida, 2 horas de trabalho).



Utilizando ainda a técnica da transferência, avancei com uma abordagem em aguarela (pigmentos 411, 331 e 227 da Van Gogh, 30 minutos de trabalho).




Sabendo que terei que ir ao desenho de linha, mas ainda numa abordagem totalmente livre executei este simples esboço (tinta-da-china da Pelikan em papel esquiço da Canson, 10 minutos de trabalho).




Pus-me a matutar numa primeira abordagem do meu objectivo de arte final através da técnica do pontilhado (tinta-da-china da Pelikan, aparo em bronze da Gillot, poliéster, 3 horas de trabalho em 2 fases).



Numa situação anterior tinha deixado cair uma gota de água em cima de um trabalho de tinta-da-china em poliéster. Como tinha gostado daquele efeito fortuito, desta vez decidi abordar a mesma imagem deliberadamente através de uma aguada (tinta-da-china da Pelikan, aparo de bronze Gillott, poliéster, 1 hora de trabalho).



E para finalizar decidi fazer uma nova interpretação com cor (lápis de cor 032, 059 e 049 da Caran D'Arche Supracolor II Soft 3888, poliéster, 1 hora de trabalho).

domingo, dezembro 16, 2007

Paleta da REMBRANDT

No âmbito das aulas de IC, comecei há algumas semanas a fazer experiências sistemáticas com a aguarela. Além de já ter alguns kits de tintas, de experimentar pincéis novos e de preparar alguns projectos em aguarela, pus-me também a fazer paletas e a explorar as potencialidades de cada uma delas. Hoje fica aqui o resultado da tradução das 12 cores da paleta da REMBRANDT que eu construi. Cada cor foi escolhida com bastante cuidado porque só podia ter 12. Gostei bastante do equilíbrio destes 12 pigmentos. Um dia destes vou executar a paleta alargada a partir da mistura destas 12 cores.

sábado, dezembro 15, 2007

Vanitas com Borrego

Hoje juntei-me à turma da pintura a óleo com a promessa de um vanitas. Como não se conseguiu arranjar um crâneo humano tivemos que nos contentar com um crâneo de borrego, um corno de bode, uma omoplata (supostamente humana), uma tíbia e três vértebras não identificadas...

Fico na dúvida se ainda iremos acrescentar uma Bíblia ou um outro livro qualquer de peso considerável...

domingo, dezembro 09, 2007

Fluviário de Mora

Já tinha proposto a mim mesmo pegar no carro e ir até Mora para visitar o Fluviário que abriu este ano. Depois de uma aula de Ilustração Científica onde se falou tanto deste espaço, prometi a mim mesmo que iria ainda este ano visitar o novo aquário.

E hoje, voilá! Meti as rodas à estrada e estive em Mora...

Encontrei um aquário totalmente despretensioso mas com uma (pequena) fantástica colecção!!! E organizada de uma maneira bastante original... Recomendo vivamente a todos aqueles que amam a natureza, aqueles que gostam de levar os miúdos a esticarem as pernas ou muito simplesmente aqueles que prometeram levar os mais-que-tudo a apanhar sol...

^_^

sábado, dezembro 08, 2007

Branchiosaurus sp. (+)

Hoje fui às compras à XXI Feira dos Minerais, Gemas e Fósseis de Lisboa na FCL. Gastei uma pipa de massa em conchas de moluscos (estou muito orgulhoso de uma Tonna), equinodermes (arranjei um esqueleto de uma holotúria) e fósseis. O meu bem mais precioso é este Branchiossaurus sp. (+) um batracomorfo temnoespondileo do Pérmico, colhido na Alemanha. Irei passar o resto da tarde a fotografar, a catalogar e a arrumar todo aquele material.

^_^

sexta-feira, dezembro 07, 2007

Porcellio - Fase 0

Hoje na aula de Ilustração Científica esteve-se a comentar o arranque dos projectos individuais a pontilhado em tinta-da-china. Eu já tinha arranjado um projecto (a minha lesma-do-mar japonesa Elysia ornata) e no meio da aula, por sugestão do Pedro Salgado, decidi mudar de espécime (Helix sp.). Mas a vida dá as suas voltas e mesmo no final da aula eu e a Bárbara fomos à caça da minha versão final do meu primeiro projecto!!! Dá-me ideia que este Isópode (aqui o olho de lince do Pedro Salgado não se enganou!) é um porcelionídeo, e muito provavelmente um Porcellio scaber. Existem pelo menos com abundância ainda as variedades P. dilatatus e P. laevis mas com toda a franqueza não consegui reunir informação suficiente para as distinguir umas das outras.

Primeiro passo, estudar este crustáceo enquanto vive na minha caixinha de metal... E isso inclui fotografá-lo de todas as maneiras e feitios...

quarta-feira, dezembro 05, 2007

Elysia ornata

Nas aulas de IC tem-se falado na busca de um projecto pessoal para começar a desenvolver por via das técnicas aprendidas. O tema escolhido deve começar a ser abordado por desenho de grafite. Eu escolhi uma lesma-do-mar-japonesa, Elysia ornata da família do Elisideos, da ordem dos Sacoglossídeos, da classe dos Gastrópodes, do filo dos Moluscos. E depois usei uma diversidade de técnicas e de materiais no meu caderno de campo...

terça-feira, dezembro 04, 2007

Cupressus

Após um pouco mais de meia centena de páginas rabiscadas no Caderno de Campo, fico finalmente orgulhoso do resultado... Um desenho de um tronco de um cipreste junto ao Palácio Nacional da Ajuda... Quase uma hora de trabalho enquanto esperava vez para entrar na exposição do Hermitage... Tempo bem aproveitado!!! Mais uma vez fui incapaz de resistir à posterior manipulação digital...

sábado, dezembro 01, 2007

Saída de Campo - Arriba Fóssil da Costa da Caparica

Hoje tivemos pela primeira vez uma saída de campo no âmbito das aulas de IC. O local escolhido foi a arriba fóssil da Costa da Caparica. Estiveram também connosco alguns alunos da ESBAL, amigos e 2 cães!!! Acho que vamos todos gostar de voltar a repetir quando estiver mais calor!

quinta-feira, novembro 08, 2007

Os Amigos de Peniche

7 artistas, 7 profissões, 7 dias da semana...

A oportunidade de poder assistir à inauguração desta exposição na Câmara Municipal de Peniche teve muito significado para mim...

Nós, os alunos do curso de IC, já conhecíamos todos algo deste trabalho desenvolvido nas Berlengas no Verão passado. Daí termos sentido muita cumplicidade na apreciação dos cadernos de campo expostos ao longo das pegadas (e demais acessórios, eheheheh...) das gaivotas e dos sons das pardelas.

Como um verdadeiro devoto do regresso às origens do desenho de história natural, não posso deixar de recomendar esta peregrinação pela fauna e flora insular daqueles ilhéus.

domingo, novembro 04, 2007

Transferência

Este desenho foi construído no decurso da aprendizagem de uma técnica de transferência. Após a realização de várias provas acabei por digitalizar o trabalho que mais me agradou (tinta-da-china em poliéster) e produzi algumas dezenas de imagens coloridas no computador.

sábado, novembro 03, 2007

Cardo



Aproveito todos os momentos para dar continuidade ao trabalho iniciado o mês passado com o Caderno de Campo... O acto de desenhar deste cardo só foi interrompido pelo pôr-do-sol.

quinta-feira, novembro 01, 2007

Lobo Ibérico (bis)

Neste fim de semana passado ficou encontrado um possível tema de projecto de Ilustração Científica. Um dos requisitos que eu próprio me tinha colocado era que tinha de ser um mamífero e que tinha que ter algo a ver com Portugal. Pois não é preciso procurar mais nada nesta área. Vou passar alguns meses a estudar o lobo ibérico, criar um dossier com material de referência, estudar bibliografia, visitá-lo ao longo das estações do ano, fotografá-lo com a ajuda de amigos, desenhá-lo ao vivo em movimentos soltos...

terça-feira, outubro 30, 2007

A Bíblia do Ilustrador Científico

Uma obra de referência para quem se gosta de meter nestas coisas da Ilustração Científica. Os primeiros capítulos falam de técnicas. Os últimos capítulos falam de modos de fazer as coisas...

Para ir lendo... À medida das necessidades
!

quinta-feira, outubro 25, 2007

Thatcheria

Não faço a mínima ideia de que espécie de concha se trata... Mas lembra-me uma Thatcheria sp. desgastada pelas ondas do mar...

domingo, outubro 21, 2007

Lobo Ibérico

Este novo fôlego neste espaço prende-se com muitas razões mas cada coisa a seu tempo... O que é importante é que este espaço vai ser revitalizado nos próximos tempos e se esta lufada de ar fresco puder trazer benefícios colaterais, eu diria tanto melhor...

Tudo isto porque tenho em mente uma visita ao Centro de Recuperação do Lobo Ibérico, dito Canis lupus signatus, originalmente fundado em 1985 pelo
Grupo Lobo.

sábado, outubro 20, 2007

Serval

Hoje, no decurso de um visita ao Jardim Zoológico de Lisboa, no intuito de prosseguir com o desenho de campo de animais, voltei a ficar fascinado pela majestade deste carnívoro. O serval [Felis (=Leptailarus) serval] estava magnífico.